A Telessaúde

A telessaúde é a modalidade de atendimento que permite aos profissionais da área da saúde – médicos, psicólogos, fisioterapeutas, entre outros – prestarem serviços de assistência à distância para pacientes com recursos digitais de comunicação interativos, como celulares, computadores e tablets. É poder ter atendimento sem sair de casa, com segurança, conforto e privacidade.

Durante a pandemia da Covid-19, a telessaúde salvou vidas ao evitar idas desnecessárias aos pronto-atendimentos e hospitais, reduzindo os riscos de contaminação. Sua adoção também está ajudando a aumentar o acesso da população à saúde, por ampliar as possibilidades de assistência aos pacientes por profissionais que, de outra maneira, dificilmente estariam disponíveis.

Ela viabilizou, ainda, o cuidado preventivo e o diagnóstico precoce de doenças. Para ter uma ideia do potencial dessa modalidade de atendimento, somente no ano passado foram realizadas 1,6 milhão de consultas à distância.

A telessaúde também facilita a interação entre especialistas na avaliação de um diagnóstico ou de tratamento, ajuda no monitoramento remoto do estado de saúde de um paciente que está no hospital ou em casa e garante o acompanhamento de procedimentos emergenciais por equipes especializadas que não estão fisicamente perto.

Todas essas conquistas ainda não estão garantidas no Brasil. É preciso promover a regulamentação definitiva dessa modalidade e assegurar a oferta de telessaúde para os brasileiros.

Acesso

Os brasileiros sempre conviveram com uma brutal desigualdade no acesso à saúde: muitas das nossas regiões têm poucos médicos e poucas concentram a maioria dos profissionais.

A telessaúde ajuda a mudar essa situação e a enfrentar essa realidade perversa. O atendimento remoto permite encurtar distâncias, democratiza o atendimento e salva vidas porque amplia o acesso dos brasileiros à saúde de qualidade, não importa onde estiverem. O Brasil precisa da telessaúde.

Conheça o cenário brasileiro de acesso a medicina, com informações de âmbito nacional, regional e estadual.

Iniciar

Distribuição dos médicos por unidade da federação

Navegue para conhecer a situação pelo país

Número de médicos
Número de médicos por 1.000 habitantes

Filtre também por

Estados Regiões País
Fonte: Demografia Médica no Brasil - 2020. Disponível aqui.

Porcentagem de médicos em atividade, distribuídos por regiões do país

53,2%
Sudeste
18,4%
Nordeste
15,3%
Sul
8,5%
Centro-Oeste
4,6%
Norte

Fonte: Demografia Médica no Brasil - 2020. Disponível aqui.

Cenário Atual

Apesar de todos esses avanços, o direito da população brasileira à telessaúde ainda não está garantido. A regulamentação – que permite a prática somente da telemedicina – criada em 2002, está obsoleta e precisa de atualização. Com a chegada do novo coronavírus e o aumento exponencial de pessoas acometidas pela doença, o uso da telemedicina foi autorizado em caráter emergencial durante a pandemia. Agora, precisamos garantir que essa modalidade de atendimento seja preservada, se torne permanente e atenda às necessidades dos brasileiros, em linha com a realidade e com os enormes desafios da saúde no país.

De acordo com a lei que libera a telemedicina no Brasil, a regulamentação da modalidade de maneira permanente caberá ao Conselho Federal de Medicina (CFM). Isso ainda não ocorreu e é importante que a discussão avance rapidamente. No Congresso Nacional existem debates sobre o assunto, inclusive por meio de uma Frente Parlamentar criada exclusivamente para o tema. Por isso, é fundamental que a sociedade tenha uma visão ampla sobre o assunto e o impacto positivo da telessaúde na saúde da população, graças a seu enorme potencial de oferecer mais acesso aos serviços e aos profissionais de saúde disponíveis no país.

Diante da persistência do cenário de isolamento social e pessoas cada vez mais conectadas, que prezam pela agilidade, pela segurança e personalização do cuidado, o uso da telessaúde precisa ser irreversível. Afinal, ela é a união do melhor atendimento de saúde que pode ser oferecido com a melhor, mais segura e mais interativa tecnologia disponível.

O profissional de saúde

A telessaúde é mais uma nova forma de ampliar a atuação dos profissionais da área. Eles devem ter autonomia para, junto com o paciente, estabelecer a melhor forma da prestação do serviço de acordo com cada caso, usando recursos que prezem, pela qualidade da assistência, segurança das informações e que garantam um atendimento humanizado

Estimular a prática da telessaúde é oferecer mais saúde ao brasileiro por meio do uso de ferramentas que já estão presentes no dia a dia, garantindo cuidado humanizado, ágil e seguro.

Tecnologia

A tecnologia sempre foi uma aliada da saúde. Para que os pacientes possam desfrutar de todos os seus benefícios, no entanto, é preciso usá-la com total segurança, para garantir a privacidade e a proteção dos dados. Tudo precisa estar em conformidade com as rigorosas legislações e normas sobre o tema, principalmente a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

A ampliação do acesso requer a avaliação e a autorização do uso das tecnologias interativas que permitem atendimento à distância e atendam aos requisitos de segurança da informação, qualidade da conectividade e interação, confiabilidade de resultados e integração de sistemas.

Ter um ambiente digital seguro, que respeite a privacidade e garanta a proteção dos dados dos pacientes, é fundamental para a boa prática da telessaúde.

Prevenção

A pandemia está mostrando que prevenção é essencial para promover e preservar a saúde das pessoas. Prevenir é evitar doenças e salvar vidas. A telessaúde tem sido uma aliada nesse esforço, pois ajuda a desafogar a demanda por atendimentos mais complexos, realizados em serviços de urgência e emergência, como pronto-atendimentos e hospitais.

Além disso, o acesso ao profissional de saúde por meio do uso de plataformas tecnológicas interativas facilita o esclarecimento de dúvidas dos pacientes em casos de emergência e permite uma primeira avaliação sobre a necessidade de atendimento presencial.

O uso racional dos recursos vai muito além dos números. Está também na eficiência do atendimento e no cuidado da relação profissional-paciente. É estar presente quando e onde for necessário. É preservar a vida.

Prevenção

Amplia acesso à saúde Amplia acesso à saúde
Oferece atendimento a quem precisa em qualquer lugar e hora Oferece atendimento a quem precisa em qualquer lugar e hora
Reduz a exposição a riscos e auxilia no enfrentamento da Covid-19 Reduz a exposição a riscos e auxilia no enfrentamento da Covid-19
Diminui a jornada do paciente, com maior humanização Diminui a jornada do paciente, com maior humanização
Facilita a interação entre profissionais na investigação de diagnóstico e decisões a respeito de abordagens terapêuticas Facilita a interação entre profissionais na investigação de diagnóstico e decisões a respeito de abordagens terapêuticas
Torna mais ágil a prestação de cuidado com a saúde e atende as necessidades atuais dos brasileiros Torna mais ágil a prestação de cuidado com a saúde e atende as necessidades atuais dos brasileiros
Protege pacientes dos riscos de contaminação Protege pacientes dos riscos de contaminação
Promove a prevenção de doenças e a qualidade de vida dos brasileiros Promove a prevenção de doenças e a qualidade de vida dos brasileiros
Privilegia casos mais graves nos hospitais e o uso racional de recursos Privilegia casos mais graves nos hospitais e o uso racional de recursos
Reduz custos Reduz custos
Evita o agravamento de doenças crônicas Evita o agravamento de doenças crônicas

Depoimentos

"Tenho uma doença grave, mas agora tenho um plano de tratamento preventivo que me dá mais segurança, além do acompanhamento remoto do médico. A telemedicina foi uma luz na minha vida”, Jacinta Teixeira Souza, paciente com câncer de pâncreas que, depois de acompanhar uma live do oncologista e diretor científico do Instituto Oncoguia Rafael Kaliks, entrou em contato com o médico e passou a fazer consultas à distância."

– Jacinta Teixeira Souza Paciente usuária da telessaúde

"A regulamentação definitiva da telessaúde visa fortalecer a saúde coletiva, não só nas cidades com boa estrutura, mas nos vazios assistenciais e nas regiões de difícil acesso."

– Williames Freire Bezerra Presidente do Conasems (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde)

"Num país continental como o nosso, com tamanhas diferenças de todas as naturezas, a telessaúde democratiza o acesso à medicina de qualidade, diminui idas desnecessárias a prontos-socorros e permite levar a prevenção a muito mais pessoas."

– Eduardo Amaro Presidente da Anahp (Associação Nacional de Hospitais Privados)

"As empresas apontam que a telessaúde conseguiu resolver 70% das demandas e encaminhar os casos de maior complexidade para o atendimento presencial"

– Rafael Lucchesi Diretor-superintendente do SESI (Serviço Social da Indústria)

"Há 20 anos, organizações médicas de todo o mundo já haviam se dado conta do potencial da telemedicina e da importância de sua regulamentação, de modo a permitir seu uso com eficiência, ética e responsabilidade."

– José Luiz Gomes do Amaral Presidente da Associação Paulista de Medicina (APM)

"O que os brasileiros esperam é que a decisão sobre a regulamentação não demore. Mais do que isso: que não seja uma legislação limitadora com risco de travar o desenvolvimento da telemedicina no país e nos coloque na contramão do resto do mundo."

– Vera Valente Diretora executiva da FenaSaúde (Federação Nacional de Saúde Suplementar)

"Conseguimos reduzir a lista de espera por atendimentos na cidade em até 60%, com a definição de critérios de gravidade, ordenando a fila de maneira inteligente e usando a telemedicina para atender à distância e fortalecer a clínica na Atenção Primária à Saúde."

– Erno Harzheim Ex-secretário de Saúde de Porto Alegre e ex-secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde

"A telemedicina consegue uma coisa que a consulta convencional não consegue. Quando o paciente vem até o meu consultório, eu só enxergo a realidade dele dentro da minha sala. Mas se eu faço uma teleconsulta, posso conhecer a moradia e as condições de vida dele."

– Chao Lung Wen Professor da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo)

"Se antes da Covid-19 a telemedicina já era importante para ampliar o acesso à saúde em regiões mais necessitadas ou remotas, com a pandemia ela se afirma como indispensável."

– Carlos Eduardo Lula Presidente do Conass (Conselho Nacional de Secretários da Saúde)
Ver todos Ver menos

Para saber mais

05.04.2021 Folha de S. Paulo

Planos de saúde defendem avanço da telemedicina no pós-pandemia

Acesse
26.03.2021 Mobile Time

Lei para telessaúde não tem consenso

Acesse
11.02.2021 CNN Brasil

Planos de saúde popularizam uso da teleconsulta

Acesse
06.02.2021 Infomoney

O bom uso da tecnologia pode melhorar o atendimento médico

Acesse
20.09.2020 Jota

Telemedicina decola na saúde privada, mas é desincentivada no SUS

Acesse
24.09.2020 Veja

Soluções para telemedicina no Brasil atraem investimentos milionários

Acesse
23.09.2020 UOL

Telemedicina cresce no Brasil: atendimento remoto ajudou a salvar pacientes

Acesse
10.09.2020 Estadão

Telemedicina, fortalecimento do SUS e um primeiro balanço da pandemia

Acesse
Ver todos Ver menos